sábado, 12 de setembro de 2009

BB - Enrolação na Mesa Específica



Olivan Faustino *

Brasília - Sexta feira, 11/09/2099, aconteceu mais uma rodada de negociação entre a Comissão de Empresa e a diretoria do Banco do Brasil, não houve avanços nas negociações das questões específicas.

O Principal ponto da pauta, que era o PCCS (Plano de Cargos e Comissões de Salários), os representantes do banco alegaram que não tinham autorização do DEST (departamentos das estatais) para negociarem, mas admite discutir outros pontos, como a carreira de mérito.

Quanto às questões sociais e sindicais, também alegaram que vão aguardar o resultado das negociações com a FENABAN, na próxima quinta feira, 17/09.



Enfim, para não sairmos da reunião só com os cumprimentos, o banco afirmou que tem autorização para propor eqüidade na questão de gênero, reafirmou a implantação do comitê de ética para combater o assédio moral crescente no Banco do Brasil, e com relação às vítimas de assalto ou seqüestro, o banco concorda em garantir adiantamentos para as pessoas que tenham que ficar fora de sua residência ou cidade por conta dos efeitos da ocorrência, além de concordarem com a renovação nos mesmos termos, das cláusulas do aditivo atual ao adiantamento do 13º salário; ausências remuneradas e permitidas; indenização por morte; movimentação de pessoal; anualização da licença-prêmio; escala de férias, entre outras.

Para finalizar, protestamos quando da informação que o banco disponibilizou através no SISBB, com relação à LATERALIDADE, houve uma proposta do banco, e o banco informou aos funcionários o que tinha proposto na mesa de negociação, nós nos nossos informativos, comunicamos o proposto pelo banco, e no dia subseqüente o banco retifica o a proposta.

O que foi proposto: Agências com até sete funcionários, em caso de ausência seria substituídos por colega na agência, assim como de outra dependência. No dia subseqüente, o banco divulgou comunicado interno retificando a informação e dizendo que os bancários da mesma agência não poderiam ser substitutos.

Diante do protesto da Comissão de Empresa, os representantes do banco alegaram falha na comunicação entre as partes, dizendo que a proposta do banco realmente impede que funcionários da mesma agência sejam nomeados. Para a Comissão de Empresa, tanto o erro da empresa quanto a proposta não se justificam. Sabemos, e o banco reconhece que existe o problema e que temos que caminhar para uma resolução, pois alem do estresse, adoecimento, desmotivação, sobrecarga de serviço, onde o colega termina acumulando o serviço de quem se afasta, e o pior, sem a remuneração, continua gerando uma insatisfação no ambiente de trabalho e aumentando o passivo do banco, por pratica de desvio de função. Esperamos nesta campanha salarial, regularizar essa situação de angústia dos funcionários do Banco do Brasil.

E aqui uma pergunta? Porque os colegas da Agência, não podem substituir quem se afasta? No nosso entendimento, uma grande falta de respeito para com esses colegas, essa atitude da diretoria desmotiva, e demonstra total falta de confiança naqueles que estão na labuta no dia dia, produzindo e encarando os desafios cobrados pela diretoria, super, gerentes, e são quem verdadeiramente merecem a substituição, pois são quem conhecem a dependência e sua clientela.

Próxima rodada de negociação em Brasília, 18/09/2009

* Olivan Faustino é bancário do BB, Secretário Geral do Sindicato dos Bancários da Bahia e Membro da Comissão de Empresa do Banco do Brasil.

Nenhum comentário:

Mais vistos

Arquivo

  ©Template by Dicas Blogger.

TOPO