quarta-feira, 11 de novembro de 2009

Bancários de Chapecó repudiam a condução do Comando Nacional

Chapecó (SC), 09 de Novembro de 2009.

Ao
Comando Nacional dos Bancários.

Nós, empregados da Caixa de Chapecó e região, grevistas de primeira hora e no movimento durante os 28 dias, vimos por meio deste manifestar nosso repúdio, sugerido e aprovado em assembléia, da forma como o Comando Nacional conduziu o desfecho da greve na Caixa.

Durante a campanha construiu-se um consenso entre os empregados de que deveríamos priorizar a luta pela isonomia de direitos, elevação do piso, valorização salarial entre outras reivindicações. Razão disso, foi a continuidade da greve, somente dos empregados da Caixa. A força da greve, mesmo após quase trinta dias de paralisação, ficou evidente na manutenção do movimento em todas as capitais e no Distrito Federal, bem como em boa parte das bases sindicais no País.

Estranhamente, à véspera da reunião de conciliação no TST, o comando nacional negociou uma proposta com a direção da Caixa que não contempla as prioridades da pauta específica e além do mais orientando  às assembléias a aceitação da proposta com abono (inclusive nunca  solicitado pelos empregados). A maioria do Comando Nacional preferiu um acordo arranjado e sem atender as principais reivindicações dos empregados, ao enfrentamento com a empresa. Lembrando que a isonomia, por exemplo, com os 18 dias de licença prêmio dá R$ 821,39, recebidos todos os anos, tornando os empregados iguais, desempenhando as mesmas funções, dentro da mesma instituição. O abono de R$ 700,00 em uma única vez, irá se esvair nas horas que teremos que repor e refletir na saúde dos empregados.

A categoria preferia o julgamento do TST, mesmo que desfavorável, do que ver os representantes dos empregados se curvarem à postura autoritária da empresa. Os empregados da Caixa perguntam: qual é o real comprometimento do comando com a categoria e se em futuras campanhas podem esperar um posicionamento combativo? Lembrando Che Guevara “não podemos esquecer a ternura, mas devemos endurecer”.  Caso não haja essa disposição, seria oportuno alguns membros do comando repensarem sua participação no processo.

Por fim, manifestamos o sentimento de frustração com o resultado das negociações e a indignação com a conduta do comando nacional. Seria prudente o comando justificar à categoria a postura subserviente à direção da empresa. Esperamos que em campanhas futuras o sentimento dos empregados engajados no movimento seja o balizador na conduta desse comando.

Atenciosamente,

Empregados da Caixa de Chapecó e Região

Sindicato dos Bancários de Chapecó e Região.

*A presente moção foi aprovada em assembleia dos empregados da Caixa de Chapecó e região, realizada em 22 de outubro de 2009


Fonte: Sindicato dos Bancários de Chapecó-SC

Um comentário:

Anônimo disse...

Uma postura classista como defendemos na ruptura, na fundação e na criação de nossa Central. Já tinha me manifestado ao Alzumir antes, mas diante de nenhum comentário sobre a dignidade desta moção, reitero minha manifestação.Precisamos repensar a postura lambe-lambe que tem dado o tom de nossa representação em Comandos e Comissões. Saudades da nossa representante Elvira do Ceará, que cumpriu seu papel com independência e dignidade.

Saudações Classistas

Rogério Pires
CTB/Minas

Mais vistos

Arquivo

  ©Template by Dicas Blogger.

TOPO