sexta-feira, 14 de maio de 2010

Caixa + BB = R$3.127.500.000,00 em três meses

Lucro da Caixa cresce 72% no primeiro trimestre e alcança R$ 777,5 milhões

O lucro da Caixa Econômica Federal cresceu mais de 70% no primeiro trimestre deste ano, na comparação com o ano passado, puxado pelo crédito para compra da casa própria, anunciou nesta quinta-feira, dia 13, a presidente do banco, Maria Fernanda Ramos Coelho.

O resultado ficou em R$ 777,5 milhões, aumento de 72,1% em relação a igual período de 2009, R$ 452 milhões.

O destaque do nosso crescimento é a carteira imobiliária", disse a presidente, destacando o avanço de 10,3% nos primeiros três meses do ano. As contratações totalizaram R$ 14,5 bilhões no período.

Até o último dia 10, o valor já atingiu R$ 22,47 bilhões, beneficiando 373.316 famílias, com crescimento de 126% em valor e 71,7% em quantidade.

A presidente da Caixa destacou ainda, dentro do segmento habitacional, as contratações com recursos da caderneta de poupança, que atingiram R$ 7 bilhões no trimestre, com alta de 82,4%.

Ao final de março, o banco possuia R$ 364,3 bilhões em ativos, com expansão de 16,6% sobre março de 2009.

Mais empregados e valorização salarial

O crescimento no lucro líquido da Caixa Econômica Federal registrado neste primeiro trimestre mostra que o banco tem todas as condições de atender às reivindicações dos empregados por melhores condições de trabalho e melhoria salarial.

O crescimento expressivo no lucro da empresa mostra que os trabalhadores estão produzindo e fazendo sua parte, apesar da sobrecarga de trabalho. O banco cumpre relevante função social e isso exige uma estrutura compatível com esse crescimento. É urgente a  contratação de mais empregados.

Lucro do Banco do Brasil sobe 41% no 1º trimestre e atinge R$ 2,35 bilhões

O Banco do Brasil registrou lucro líquido de R$ 2,35 bilhões no primeiro trimestre deste ano, com um crescimento de 41,2% no comparativo com igual período do ano passado, de acordo com os dados divulgados nesta quinta-feira.

A rentabilidade anualizada sobre o patrimônio líquido do Banco do Brasil ficou em 28%.

Impulsionadas pelo crescimento do crédito, as receitas financeiras totalizaram R$ 18,6 bilhões nos três primeiros meses deste ano, com alta de 21,6% sobre o mesmo período de 2009. Desse total, as receitas com operações de crédito somaram R$ 12,5 bilhões, registrando expansão de 39,4%.

Os ativos do Banco do Brasil chegaram a R$ 724,9 bilhões em março, e a carteira de crédito totalizou R$ 305,6 bilhões, subindo 26,3% na comparação com o primeiro trimestre de 2009.

O crédito para consumidores teve expansão de 55,5% em 12 meses, atingindo R$ 95,1 bilhões. O montante representa 31,1% da carteira total, elevando a participação (25,3%) registrada no mesmo período do ano anterior. Reforçado pela parceria com o Votorantim, o financiamento para veículos cresceu 200,3% em um ano, para R$ 21 bilhões.

No segmento empresarial, a carteira de crédito teve expansão de 25,8% em 12 meses, totalizando R$ 128,1 bilhões, com destaque para os empréstimos para capital de giro.

Na média, a inadimplência, considerando atrasos superiores a 90 dias, atingiu 3,1% da carteira ao final do primeiro trimestre.

Lucro reforça necessidade de um novo PCCS e  melhores condições de trabalho

O crescimento no lucro do Banco do Brasil reforça as demandas dos funcionários por melhores condições de trabalho e valorização salarial.

O crescimento do lucro deixa claro que o banco tem todas as condições de atender às reivindicações dos trabalhadores, como a discussão e implantação de um novo Plano de Carreira, Cargos e Salários, com valorização do piso e do mérito, implantação imediata do plano odontológico e outras.


Fonte: Sindicato dos Bancários de Chapecó

Nenhum comentário:

Mais vistos

Arquivo

  ©Template by Dicas Blogger.

TOPO