terça-feira, 15 de setembro de 2015

Precarização é ameaça à saúde do trabalhador

Estudantes e trabalhadores de diversas categorias participaram nesta terça-feira (8/9), do Seminário sobre a precarização no setor bancário, realizado pela Federação dos Bancários da Bahia e Sergipe, na cidade de Feira de Santana. Conjuntura, assédio moral e as implicações da precarização na saúde do trabalhador fizeram parte do debate.

A coordenação do Seminário ficou a cargo do diretor de saúde da Feeb BA/SE, Fernando Dantas, que dividiu a abertura com Sandra Freitas, presidenta do Sindicato dos Bancários de Feira de Santana, entidade que teve papel imprescindível para realização e sucesso do evento.


Na mesa, o presidente do Sindicato da Bahia, Augusto Vasconcelos, discorreu sobre a conjuntura política e econômica, defendendo a importância de se preservar a democracia e a manutenção do mandato da presidenta Dilma. Já o advogado Eusébio Carvalho lançou um olhar jurídico sobre a precarização, prestando esclarecimentos importantes sobre os direitos do trabalhador.

Outra questão importante foi abordada pela especialista em psicologia do trabalho Margarida Barreto, que falou sobre a precarização na organização do ambiente do trabalho e o assédio moral.

Para ela, o assédio é uma prática organizacional própria do capitalismo e que vem se acentuando e criando novas formas de exploração a cada dia. Como saída para essa situação, chegou-se a conclusão da necessidade de uma atuação sindical forte e classista, além da necessidade de participação dos trabalhadores na política, em busca de uma nova ordem socioeconômica que acabe com as mazelas no mundo do trabalho.

Entre as exposições, foi apresentado ainda o último Anuário da Previdência Social (2013), que evidencia números alarmantes de acidentes e doenças relacionadas ao trabalho. O documento mostra que durante o ano de 2013, foram registrados no INSS cerca de 717,9 mil acidentes do trabalho e o total de acidentes registrados com CAT aumentou em 2,30% de 2012 para 2013.

Já o número de acidentes de trabalho teve aumento de 0,55%. Do total de acidentes registrados com CAT, as doenças do trabalho tiveram um percentual de 2,72%. A maior incidência foi na faixa etária entre 30 e 39 anos, com 33,52% do total de acidentes registrados, o que mostra que os trabalhadores estão sendo lesionados ainda muito jovens, no auge da sua produtividade.

Para o secretário de Saúde da Feebbase, Fernando Dantas, os dados deixaram evidente o desrespeito que os patrões têm com os trabalhadores, precarizando as relações de trabalho em detrimento do lucro, utilizando para isso a exigência de metas cada vez mais absurdas, o que termina por vitimar o trabalhador, levando-o ao acometimento de doenças osteomusculares e psíquicas.

Dantas destacou ainda, a organização e mobilização por parte do Sindicato dos Bancários de Feira, que culminou com um público expressivo e a participação de sindicalistas de outras categorias, estudantes e trabalhadores liberais. Nos debates, houve muitas reflexões e perguntas aos palestrantes. O Seminário chamou atenção da mídia local, que compareceu para fazer a cobertura do evento.

Nenhum comentário:

Mais vistos

Arquivo

  ©Template by Dicas Blogger.

TOPO