sábado, 24 de outubro de 2015

Com voto contrário da CTB, maioria do Comando orienta aceitar a Fenaban

Depois de exaustivas horas de negociação, A Fenaban procurou o Comando Nacional dos Bancários, neste sábado (24/10), para apresentar uma proposta de encerramento da greve. 

Além dos reajustes de 10% para os salários, PLR (Participação nos Lucros e Resultados) e piso, e índice de 14% para os vales refeição e alimentação, a Federação Nacional dos Bancos, após intenso debate com o Comando, aceitou abonar 63% das horas dos trabalhadores de 6 horas, de um total de 84 horas, e 72% para quem trabalha 8 horas, de um total de 112 horas. Isso quer dizer que, um dia após a assinatura do acordo, os bancários compensariam, no máximo, uma hora por dia útil, até o dia 15 de dezembro.

A CTB (Central dos Trabalhadores e Trabalhadoras do Brasil) trabalhou intensamente durante toda a sexta-feira (23/10) e madrugada deste sábado (24/10), para melhorar a proposta, inclusive propôs a rejeição. No entanto, a maioria do Comando Nacional orienta a aceitação.


Vale lembrar que a força da greve, que completa 19 dias neste sábado (24/10), possibilitou que o índice apresentado inicialmente subisse 4,5%, um pouco acima da inflação (9,88%). No último dia 25, a Fenaban ofereceu 5,5% e abono de R$ 2,5 mil. 

Após 16 dias de greve, no dia 20 de outubro, uma nova proposta foi apresentada, de 7,5% de reajuste. No dia seguinte, o índice foi de 8,75%. Ambos foram recusados na mesa.

O presidente do Sindicato dos Bancários da Bahia e membro da Coordenação da CTB-Bancários, Augusto Vasconcelos, afirma que a CTB defendeu a rejeição da proposta no Comando por acreditar que era possível arrancar mais, mas foi derrotada. “O nosso movimento impôs uma derrota aos bancos, que queriam interromper o ciclo de aumentos acima da inflação. Mesmo assim, achamos que é possível avançar mais”. 

Há ainda a expectativa sobre as negociações específicas do BB, BNB e Caixa. “Não podemos admitir que assuntos como contratações, pagamentos de substituições, recebimento integral de horas extras e outras pautas relevantes fiquem sem respostas”, alerta Vasconcelos. 

Importante lembrar que qualquer decisão será tomada em assembleias. Todo trabalhador tem direito de opinar e votar no fórum da categoria. Portanto, é importante lembrar que a greve continua na segunda-feira (25/10).

Durante toda a paralisação, os bancos trabalharam para desestabilizar o movimento, propagando boatos e fazendo ameaças, a exemplo de interditos proibitórios, além de demissões e descomissionamentos de bancários, o que faz com que a categoria fique amedrontada. O objetivo é claro, enfraquecer a mobilização. 


Confira a nova proposta da Fenaban 

Reajuste: 10 %.

Pisos: Reajuste de 10%.

- Piso de portaria após 90 dias: R$ 1.377,62

- Piso de escriturário após 90 dias: R$ 1.976,10

- Piso de caixa após 90 dias: R$ 2.669,45 (que inclui R$ 470,75 de gratificação de caixa e R$ 222,60 de outras verbas de caixa).

PLR regra básica: 90% do salário mais valor fixo de R$ 2.021,79, limitado a R$10.845,92. Se o total apurado ficar abaixo de 5% do lucro líquido, será utilizado multiplicador até atingir esse percentual ou 2,2 salários (o que ocorrer primeiro), limitado a R$ 23.861,00.

PLR parcela adicional: 2,2% do lucro líquido distribuídos linearmente, limitado a R$ 4.043,58.

Antecipação da PLR até 10 dias após assinatura da Convenção Coletiva: na regra básica, 54 % do salário mais fixo de R$ 1.213,07 limitado a R$ 6.507,55. Da parcela adicional, 2,2 % do lucro líquido do primeiro semestre, limitado a R$2.021,79.  O pagamento do restante será feito até 01 de março de 2016.

Auxílio-refeição: de R$ 26 para R$ 29,64 por dia.

Cesta-alimentação: de R$ 431,16 para R$ 491,52

13ª cesta-alimentação: de R$431,16 para R$ 491,52

Auxílio-creche/babá: de R$ 358,82 para R$ 394,70 (para filhos até 71 meses). E de R$ 306,96 para R$ 337,66 (para filhos até 83 meses).

Requalificação profissional: de R$ 1.227,00 para R$ 1.349,70

Nenhum comentário:

Mais vistos

Arquivo

  ©Template by Dicas Blogger.

TOPO