segunda-feira, 14 de dezembro de 2015

A CTB comemora 8 anos e você ganha oito canções significativas de presente


Ao completar 8 anos de existência, a CTB tem se mostrado à altura dos acontecimentos do país. No movimento sindical confirmou-se como a central que mais cresce no Brasil e na vida política destaca-se por suas posturas firmes e consequentes.

Está entre as principais entidades do movimento social brasileiro na frente da resistência à conspiração dos derrotados na eleição de 2014. Perderam e agora querem ganhar no tapetão, golpeando a democracia para acabar com as conquistas da classe trabalhadora.

“Com a certeza na frente e a história na mão”, canta Geraldo Vandré, embalando gerações, a CTB nasceu em 2007, em Belo Horizonte, da vontade de amplo setor do movimento sindical de criar uma central classista, democrática e de luta.

Também vale lembrar os versos de Chico Buarque e Pablo Milanés na bela Canção para a Unidade da América Latina: “A História é um carro alegre/Cheio de um povo contente/Que atropela indiferente/Todo aquele que a negue”. Golpistas não passarão!

Vamos às músicas:


Para saudar o nascimento da vontade de milhares de sindicalistas em construir o Brasil dos sonhos de quem produz a riqueza da nação.

Notícias do Brasil (Fernando Brant/Milton Nascimento)

“Aqui vive um povo que merece mais respeito!/Sabe, belo é o povo como é belo todo amor./Aqui vive um povo que é mar e que é rio,/E seu destino é um dia se juntar”


Como diz o slogan: “CTB a luta é pra valer” com um pé no passado, outro no presente e os olhos no futuro.

Semente do Amanhã (Gonzaguinha)

“Nunca se entregue, nasça sempre com as manhãs.../Deixe a luz do sol brilhar no céu do seu olhar!/Fé na vida fé no homem,/fé no que virá!/nós podemos tudo,/Nós podemos mais/Vamos lá fazer o que será”


Percorrendo as estradas da vida, organizando o movimento e caminhando firme, travando a batalha correta.

Andanças (Danilo Caymmi/Edmundo Souto)

“Já me fiz a guerra (me leva amor)/Por não saber/Que esta terra encerra (amor)/Meu bem-querer/E jamais termina/Meu caminhar (me leva amor)/Só o amor me ensina/Onde vou chegar (por onde for quero ser par)”


A utopia possível anima e dá forças aos guerreiros e às guerreiras da CTB.

Que as Crianças Cantem Livres (Taiguara)

“E que as crianças cantem livres sobre os muros/E ensinem sonho ao que não pode amar sem dor/E que o passado abra os presentes pro futuro/Que não dormiu e preparou o amanhecer”...


Como o sal que dá tempero ao movimento sindical brasileiro, a CTB quer o mundo novo agora.

O Sal da Terra (Beto Guedes/Ronaldo Bastos)

“Vamos precisar de todo mundo, um mais um é sempre mais que dois/Pra melhor juntar as nossas forças é só repartir melhor o pão/Recriar o paraíso agora para merecer quem vem depois”


A luta pela reforma agrária também está no ideário da CTB.

Cio da Terra (Chico Buarque/Milton Nascimento)

“Afagar a terra/Conhecer os desejos da terra/Cio da terra, a propícia estação/E fecundar o chão”


Com a convicção de que a conspiração golpista será derrotada com trabalhadores e trabalhadoras ocupando as ruas em defesa da democracia e da soberania nacional.

Anunciação (Alceu Valença)

“Tu vens, tu vens/Eu já escuto os teus sinais/Tu vens, tu vens/Eu já escuto os teus sinais”.


E como 2015 foi o ano internacional da CTB, a unidade da América Latina é fundamental para a melhoria de vida classe trabalhadora.

Soy Loco por Ti América (Gilberto Gil/Capinan/Torquato Neto)

“Espero a manhã que cante/El nombre del hombre muerto/Não sejam palavras tristes/Soy loco por ti de amores/Um poema ainda existe/Com palmeiras, com trincheiras, canções de guerra,/quem sabe canções do mar/Ai, hasta te comover/Ai, hasta te comover”


A conjuntura pede um extra: Pra Não Dizer que Não Falei das Flores (Geraldo Vandré)


Fonte: Marcos Aurélio Ruy – Portal CTB



Nenhum comentário:

Mais vistos

Arquivo

  ©Template by Dicas Blogger.

TOPO