sábado, 25 de junho de 2016

Congressos da Caixa e do BB: protagonismo da CTB em busca da unidade - Rosi Santos

Tivemos uma  atuação vitoriosa nos Congressos do BB e da CEF. Fizemos com clareza e alto nível o debate do plebiscito. De que os próximos passos para o retorno e fortalecimento da democracia deverá ser emanado pela soberania popular e que a Presidenta poderá ser absorvida pelo Senado. Que o governo ilegítimo corrupto é um ataque aos bancos públicos do país, aos direitos dos trabalhadores e à nossa democracia.


Na Caixa foi o primeiro ano da conquista da paridade, tivemos 48% de participação de mulheres, a CTB foi como o Sal da Terra, destacando lideranças da juventude e mulheres nesse espaço, ao mesmo tempo que aponta reflexões nos espaços onde há presença da mulher. Também no BB, com bravura e entusiasmo conquistamos a paridade para o próximo Congresso. Os camaradas atuaram junto lado a lado enfrentando cada desafio.

No 32º CONECEF, travamos o debate de que houve perdas salariais no período FHC, sendo reafirmado por várias correntes inclusive a majoritária. Mas a batalha foi apertada, com 16 votos de diferença, conquistamos num grande debate, convencer uma parcela da hegemonia. Destaque para a grande defesa de Augusto, Presidente do Sindicato da Bahia sobre a reposição salarial. Conseguimos manter o rateio e aprovar seu aprimoramento. Conseguimos acordo que denuncia a imposição de metas.

Nossa militância representativa e renovada demonstrou quadros dirigentes de potenciais lideranças sindicais dispostos a lutar para enfrentar os golpistas e abrir novas perspectivas para uma nova etapa de desenvolvimento. Penso que essa campanha de mobilização bancária 2016 deve ter todas as caras e formas. A conjuntura será marcada pelo avanço do conservadorismo e grande pressão sobre os trabalhadores. É nesse cenário que a CTB tem importância notável na organização dos trabalhadores , com ousadia e coragem jogando grande papel para o avanço do movimento. Buscando fortalecer a consciência da classe trabalhadora para que suas lutas transcendam a dimensão da luta corporativa. E lembro do meu querido camarada presidente Estadual da CTB Edival Góes, diz ao encerrar seus discursos: “Vamos amigo, Lute! Vamos amigo, ajude! Senão a gente acaba perdendo o que já conquistou...” #ForaTemer

Nenhum comentário:

Mais vistos

Arquivo

  ©Template by Dicas Blogger.

TOPO